Teoricamente, ocupar a terceira colocação do Campeonato Brasileiro é motivo para comemoração. Não é o caso do Santos! Enfrentando o lanterna Atlético-GO, o Peixe voltou a jogar mal na tarde deste domingo e foi alvo de protestos dos mais de 4 mil torcedores presentes na Vila Belmiro. Mesmo assim, a equipe comandada por Levir Culpi, que ‘quase’ foi demitido na última sexta-feira, conseguiu vencer por 1 a 0, com gol de Ricardo Oliveira.

Com a vitória, o alvinegro chegou aos 53 pontos e diminuiu a diferença para o líder Corinthians, que tem 59 e entrará em campo só nesta segunda, contra o Botafogo, no Rio de Janeiro. O Atlético-GO, por sua vez, segue em último, com 26 pontos e vai ficando próximo da queda para a Série B.

No próximo sábado, às 17h (de Brasília), o Santos encara o clássico contra o São Paulo, no Pacaembu, pela 31ª rodada do Brasileirão. No domingo, às 18h, o lanterna visita o Vitória, no Barradão.

O jogo – Mesmo com o Santos controlando as ações desde o primeiro segundo, a partida começou em ritmo bem lento na Vila Belmiro. Porém, aos 11 minutos, o Peixe fez uma pequena ‘blitz’ na área do Atlético-GO. Após receber belo passe de Zeca, Serginho cruzou e a bola passou por todo mundo. No rebote, Jean Mota fez novo cruzamento, Ricardo Oliveira deu um leve toque e a redonda ficou limpa para Copete. Dentro da pequena área, o colombiano bateu em cima de Marcos e desperdiçou a chance de abrir o placar.

Apesar da pequena pressão e do domínio no meio, a equipe comandada por Levir Culpi não chegava com grande ímpeto do gol do Dragão, que praticamente colocou todo o time no campo de defesa, deixando o confronto sonolento.

Aos 26 minutos, porém, um lance confuso reanimou a partida na Vila. Após cruzamento de Andrigo na área, Lucas Veríssimo matou no peito, não afastou e deixou Vanderlei pegar a bola. O árbitro Pericles Bassols interpretou como recuo e marcou tiro livre indireto. Na cobrança, Walter soltou uma bomba em cima de Copete, que afastou o perigo em cima da linha.

Três minutos depois, Serginho ajeitou para Lucas Lima fora da área. O camisa 10 soltou um foguete e Marcos salvou. Na cobrança de escanteio, porém, o meia mandou na cabeça de Ricardo Oliveira, que desviou para vencer o goleiro do Dragão e abrir o placar na Vila.

Em desvantagem, a equipe de Goiânia precisou ir ao ataque e chegou bem aos 34, quando Andrigo tocou para Jorginho, que arriscou de fora da área e assustou Vanderlei.

Já no último grande lance do primeiro tempo, Walter rolou para Jorginho, que deixou o lance limpo para Andrigo. O meia mandou uma paulada, mas no travessão.

Ao contrário do que aconteceu na primeira etapa, a partida voltou do intervalo aberta e movimentada. Logo aos 2 minutos, Zeca cruzou na área, Copete desviou de cabeça e Lucas Veríssimo não conseguiu alcançar a bola.

No lance seguinte, Andrigo avançou pela direita e tocou para Jorginho. Livre na área, o meia finalizou em cima da zaga santista, que afastou o perigo.

Já aos 6 minutos, Jean Mota aproveitou espaço fora da área e soltou um foguete, acetando o travessão de Marcos.

Na sequência da partida, o Atlético-GO abandonou a postura defensiva do primeiro tempo e passou a ter o controle da bola no meio. O Peixe, por sua vez, aguardava um bom contra-ataque para ‘matar’ o confronto.

Apesar disso, foi o Santos quem teve as melhores oportunidades nos minutos seguintes. Porém, o goleiro Marcos fez várias boas defesas e manteve o 1 a 0 no placar.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 ATLÉTICO-GO

Data: 22 de outubro de 2017, domingo
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Público: 4.245
Renda: R$ 117.270,00
Cartões amarelos: SANTOS: Alison. ATLÉTICO-GO: André Castro.

GOL:
SANTOS: Ricardo Oliveira, aos 30 do 1T;

SANTOS: Vanderlei; Zeca, Lucas Veríssimo, David Braz e Jean Mota; Alison, Matheus Jesus e Lucas Lima; Serginho (Renato), Copete (Lucas Crispim) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Levir Culpi

ATLÉTICO-GO: Marcos; Jonathan (Ronaldo), Gilvan, William Alves e Bruno Pacheco; André Castro (Diego Rosa), Paulinho, Andrigo, Jorginho e Luiz Fernando (Igor); Walter.
Técnico: João Paulo Sanches

 

Fonte: Redação