ORLANDO ANTUNES
 

A Procuradoria Geral do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) autorizou o arquivamento do recurso impetrado pelas diretorias do Dom Bosco, Mixto e Cacerense contra o União de Rondonópolis, acusado de irregularidade ao relacionar seis jogadores não profissionais em duas partidas válidas pela Copa FMF.
 
O procurador geral Marco Aurélio Barbosa dos Anjos foi quem analisou a denúncia e mandou arquivar a ação, que pedia a punição ao Colorado na retirada de nove pontos da tabela de classificação.
 
Em resumo a procuradoria alegou que após receber a ‘manifestação’ do União, entendeu que não havia nenhuma irregularidade no clube. “O clube alegou a inexistência de atleta em situação irregular como tenta induzir a presente notícia de infração”, redigiu o procurador, sem citar quais provas foram apresentadas em defesa ou da acusação.
 
“Trata-se portanto de uma questão meramente administrativa e , assim deverá ser tratada”, concluiu, indeferindo também o mandado de garantia.Quarto colocado da chave única do torneio seletivo com sete pontos somados, o time unionino corria o risco de perder os pontos conquistados e não se classificar à fase semifinal.
 
Faltando duas rodadas para o término da primeira fase da competição, o clube só tem mais um jogo a fazer para fechar sua participação na fase classificatória. A partida é contra o Cuiabá, duelo marcado para o próximo dia 29 de outubro na Arena Pantanal.
 
A diretoria do União respira um pouco mais aliviada com o pedido de arquivamento da denúncia formulada em conjunto por Dom Bosco, Mixto e Cacerense. Todos eles são interessados diretos na não classificação do Colorado, que ficaria de fora do páreo pela quarta e última vaga à Copa do Brasil do próximo ano.
 
Dirigentes dos três clubes que acionaram o União na Justiça Desportiva não esconderam decepção com a decisão de arquivar a denúncia. O presidente do Cacerense, Paulo César, não hesitou em afirmar que a decisão da Procuradoria do TJD acabou ‘rasgando’ o regulamento da Copa FMF.
 
De acordo com ele, a irregularidade cometida pelo time de Rondonópolis é evidente e caberia punição ao infrator. “Não sei o que o levou o TJD a arquivar a denúncia. Rasgaram o regulamento do torneio. Em vez do nosso futebol melhorar, está é piorando, andando para trás”, desabafou.

Fonte: Redação