AFI


Em um jogo emocionante, no qual a Ponte Preta levou dois minutos para virar o placar com dois gols do atacante Lucca e quase conseguiu trazer uma vitória para casa, a Macaca empatou com o Atlético Mineiro na manhã deste domingo e conquistou um ponto importante contra o pressionado oponente, que ainda não venceu pelo Brasileirão. Com o bom resultado fora de casa, a equipe do técnico Gilson Kleina chegou aos quatro pontos – está em sétimo lugar enquanto aguarda o complemento da rodada hoje e amanhã – e o próximo confronto da Ponte será no dia 4 de junho, no Majestoso, contra o São Paulo e estreando a nova camisa de “faixa invertida”, recém-lançada pela adidas.

O jogo

A tônica do primeiro tempo foi estabelecida logo de início, com o Atlético vindo pra cima da Macaca e a Ponte explorando contrataques. Ambos os times também marcavam forte, muitas vezes abusando das faltas.  Já no primeiro minuto o Galo veio pra cima, mas Fred chutou sem perigo pela linha de fundo. Na sequência, João Lucas desarmou novo ataque mineiro, passou rapidamente a bola para Lucca, que devolveu ao bola ao parceiro – o jogador pontepretano, porém, foi parado com falta.

Aos três, Nino Paraíba fez “fila” ao se livrar de diversos oponentes em jogada rápida, mas foi parado com falta dura, que atingiu o joelho direito do atleta. Ravanelli cobrou bem, mas Fred cortou, de cabeça. O jogo seguia lá e cá, com marcação cerrada e faltas de ambos os lados. Aos seis, Lins fez boa jogada e cruzou fechado na área, o goleiro Vitor defendeu.

Aos oito, Aranha fez belíssima defesa após desvio de bola de Felipe Santana e arremate de Fred. Na sequência, novo contrataque alvinegro, mas o juiz marcou de maneira equivocada impedimento de Lins – dois jogadores atleticanos davam condição ao atacante pontepretano.

Aos 13, em lance rápido do Atlético-MG, Nino Paraíba parou Fábio Santos com falta e recebeu amarelo. Na cobrança de Cazares, a bola foi para o escanteio. Aos 17, mais um amarelo para Ponte: Kadu, por parar Fred com falta.  O Atlético seguia pressionando, mas era parado na defesa alvinegra ou até mesmo em impedimentos como  o de Robinho, aos 24. Aos 26, nova blitz do Atlético na Ponte, especialmente com Cazares, Robinho e Gabriel, mas a Ponte era cirúrgica e desarmou a jogada, armando novo contrataque da Macaca que terminou em escanteio – invertido pela arbitragem. Na sequência, o jogo foi interrompido para atendimento a Nino Paraíba e o juiz aproveitou para dar o tempo técnico para reidratação.

Atlético e Ponte Preta se enfrentaram em jogo isolado neste domingo, no Independência: e deu empate

Aos 34, Nino Paraíba arrancou, passou por Adilson e foi derrubado por Felipe Santana. Ravanelli cobrou na barreira, em escanteio para a Ponte. Na cobrança, Felipe Santana tirou de cabeça e em jogada de velocidade chegou ao gol com Robinho, aos 35 minutos, em bola sem chance de defesa para Aranha. A Ponte veio pra cima no minuto seguinte para tentar o empate, mas foi parada por falta dura de Fábio Santos, que levou cartão amarelo.

Na sequência, A Macaca cruzou boa bola na área e Victor e Felipe Santana se chocaram – o goleiro sofreu corte na cabeça e o jogo foi mais uma vez paralisado. Aos 42, o juiz marcou falta contestável de Marllon sobre Fred, mas Cazares bateu fechado e Aranha segurou sem sustos. Aos 46, Lins recebeu na direita e cortou para o meio, mas foi travado na hora da finalização. Aos 49, Ravanelli cruzou na área em cobrança de falta, porém o juiz marcou falta de Elton sobre Fred. 

A Ponte voltou para o segundo tempo com o estreante Léo Artur no lugar de Ravanelli. Logo no primeiro minuto, Cazares bateu forte de fora da área e Aranha fez grande defesa colocando para escanteio. Na sequência, mais uma boa defesa do arqueiro pontepretano, porém o lance foi invalidado porque o juiz marcou impedimento do Atlético. No lance seguinte, aos dois minutos, a Macaca empatou: em bela jogada pela esquerda, Lins passou para Wendel, que cruzou rasteiro com precisão para o camisa 9 empatar. 1 a 1.

E a Ponte não deu tempo nem para o Atlético respirar: aos quatro, Lins jogou pelo lado esquerdo e Léo Artur deu mais um cruzamento preciso para Lucca, que chutou por baixo de Fábio Santos e do goleiro Victor. Foi o terceiro gol de Lucca no Brasileirão, o 11º dele na temporada.

Aos 12, Lucca arriscou chute direto e Victor se esticou inteiro para evitar o terceiro gol do atacante alvinegro. No rebote, Elton foi travado por Fred e a bola foi para escanteio.  Pressionado pela ausência de vitórias na competição, o Atlético abriu o jogo e veio para cima. Aos 14, Maicosuel tabelou com Fred, que mandou um balaço no gol, espalmado por Aranha. Na sequência, Lins teve boa chance de ampliar, mas foi barrado por Marcos Rocha. 

Aos 18, novo Atlético: Rafael Moura tentou chegar a Fred na grande área, mas Kadu cortou a jogada. Aos 24, Léo Artur fez fila na intermediária, mas acabou desarmado próximo à área adversária. Dois minutos depois, em bela jogada da Ponte, Elton cruza forte e Naldo não conseguiu concluir. Aos 27, João Lucas fez linda jogada individual, passou por três marcadores – com direito a passar a bola entre as pernas de Marcos Rocha – e Victor defendeu.

Aos 28, após cobrança de escanteio a bola pingou na frente de Wendel, que por muito pouco não marcou o terceiro gol. No rebote, Lins acertou chute de primeira, mas bola acabou saindo. Aos 30, Gilson Kleina colocou dois novos estreantes em campo: o zagueiro Rodrigo entrou no lugar de Wendel e Claudinho substituiu Lins. Aos 34, na sequência do escanteio, Rafael Moura conseguiu empatar para o Galo, em gol de cabeça.

Aos 39, nova chance da Ponte e de Lucca, que fazia grande partida: o camisa 9 ganhou disputa de Gabriel, invadiu a área e solta um canhão, que batei nas redes pelo lado de fora.  Aos 46, Nino Paraíba quase mata a partida após invadir a área e chutar forte: o goleiro Victor fez um verdadeiro milagre e evitou o gol. Aos 47, o jogo foi parado para atendimento a Kadu, que tomou uma “cama de gato” da defesa adversária. No minuto seguinte, o juiz apitou final de jogo: 2 a 2.

Ficha técnica: Atlético-MG 2 x 2 Ponte Preta

Atlético Mineiro – Victor; Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Maicosuel), Rafael Carioca, Elias e Cazares (Rafael Moura); Robinho (Otero) e Fred. Técnico Roger Machado

Ponte Preta – Aranha; Nino Paraíba, Kadu, Marllon e João Lucas; Naldo, Elton, Wendel  (Rodrigo) e Ravanelli (Léo Artur); Lucca e Lins (Claudinho). Técnico: Gilson Kleina.

Gols: Robinho (aos 35 do primeiro tempo), Lucca (aos 2 e aos 4 do segundo tempo), Rafael Moura (aos 34 do 2º tempo)

Público: 19.553

Renda: R$ 485.735,00

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães

Amarelos: Nino Paraíba, Kadu, Fábio Santos, Otero.  

Local: Arena Independência, Belo Horizonte.

Fonte: Redação