ORLANDO ANTUNES


O técnico Aderbal Lana , com passagens pelo Mixto nas décadas de 70/80 , ainda continua no futebol. Neste final de semana, ele interrompeu sua vida pacata em Itumbiara, interior de Goiás, para continuar fazendo o que mais gosta, e sabe. Treinar futebol.

Irreverente, certa vez ele contestou o comentarista da Band, Osmar de Oliveira (já falecido) que o tinha taxado de "folclórico". "Dr.Osmar, posso ser folclórico para as pessoas que não conhecem o futebol fora de campo. Dentro dele (campo), qualquer um pode trabalhar como treinador. Difícil também é trabalhar com dirigentes fanastrões e enganadores que vivem encostados em empresários de futebol", disparou ele. 

Aqui no Mixto, ao lado de Lino Miranda, ele pedia dinheiro e saia distribuindo aos jogadores.  "Primeiro recebe aquele que trabalha duro e nos traz  os resultados" dizia ele.

A um ponto da zona de rebaixamento do Campeonato Amazonense, o Manaus precisou tomar uma medida drástica nesta quinta-feira e demitir Igor Cearense do comando do time após quase dois anos à frente da equipe. Para o seu lugar, o clube resolveu apostar alto e trouxe o experiente Aderbal Lana, conhecido como “Rei do Amazonas”.

O apelido do técnico de 70 anos não é por acaso. Ídolo no Nacional, ele já conquistou dez Campeonatos Amazonenses, recorde absoluto no Estado. Somente nos últimos anos, acumulou passagens por Nacional, Rio Negro, Fast Clube e Penarol.

Nesta quinta-feira, o novo treinador já conversou com os jogadores e comandou o treinamento visando a partida contra o Rio Negro, no próximo sábado.

Com oito jogos disputados, o Esmeraldino somou apenas 9 pontos e está na oitava colocação, a um ponto do Holanda, primeiro clube na zona de rebaixamento.

Fonte: Redação