ORLANDO ANTUNES


Estamos prestes a encerrar mais um Campeonato Estadual, onde tivemos a participação de três clubes (Luverdense, Cuiabá e Sinop) e outros sete times(União, Araguaia, Operário FC, Dom Bosco, Cacerense, Mixto e CEOV). A diferença entre clube e time ficou provada nos vários erros de cada um. Senão vejamos.

União

Único sobrevivente da cidade de Rondonópolis, onde já tivemos o Vila Aurora e o REC, o União, ou Colorado, acabou sendo punido e perdeu a vaga na semifinal por culpa de sua diretoria. Tudo porque quis economizar e colocou qualquer "Zé Peteté" para mexer com registro e documentação de jogador. Por irregularidas dos jogadores Kauan e Calado, perdeu seis pontos. E olha que ficou barato devido a excelente atuação do advogado Robby Bitencourt, pois o mesmo caso no Paraná, o J.Malucelli perdeu 16 pontos e vai ser rebaixado.

CEOV

Teve uma das melhores estruturas dos últimos anos. Política e financeira. Com a ajuda do deputado Gilmar Fabris teve o CT dos sonhos de qualquer time (Brasil Central). Na presidência o experiente Maninho de Barros e contando com a retaguarda de Dudú Campos e Hazama, deveria ter feito muito melhor. Ah ; ia me esquecendo da ajuda de Jaime Campos que " comparecia" com 60 mil todo o mês para ajudar nas contas.

Mas de nada adiantou tudo isso, pois trouxeram um tal de Waldemir como técnico e com ele um monte de "aranha". mas o pior está por vir. Na semana que vem será julgado por ter utilizado o jogador Lê no clássico contra o Mixto, que mesmo no banco, lá não poderia estar por estar suspenso. Vai perder seis pontos e será rebaixado para a segunda divisão.

Mixto

Não teve a mesma estrutura do CEOV, mas pelo menos teve um campo fixo para treinar e os jogadores foram bem alimentados e a logística funcionou. Só não funcionou na montagem do time. O técnico Toninho Pesso , apesar de otimista e trabalhador, não conseguiu fazer o time jogar. Pior, contrataram um tal de Bida que foi apelidado de jogador bolero. Ou seja; são dois pra lá e dois pra cá. Não criava nada e se arrastava em campo , fruto de seu "barrigão". Só não caiu porque teve o CEOV e o Cacerense com piores performa-se .

Araguaia

A política do bom e barato que sempre utilizou, trazendo jogadores do interior goiano, desta vez não funcionou. Apesar da capacidade do técnico Kiko, o time era muito ruim, exceto o bom ala Cabelo e o zagueiro Vitão. O time só não caiu porque teve o Operário FC em situação bem pior.

Cacerense

Num time onde ninguém sabe quem manda, o destino só poderia ser a queda para a segundona, mas ainda pode ser salvo pela burrice do CEOV. Nem o Lolo se salvou e ainda fez aparecer o artilheiro Kaique. Os demais jogadores foram apenas "peladeiros" de final de semana. Um tal de Marcinho Lacerda, vereador da cidade foi quem procurou dar algum suporte ao time, pois o sargento Clóvis não passa de um aventureiro. Ficou no lugar que mereceu.

Dom Bosco

É o único time desta competição que fez um trabalho " pé no chão". Sem investimentos, montou um time barato e competitivo, além de ter um técnico trabalhador, Giani de Freitas. Não fez melhor campanha, justamente pelas oscilações na escalação do time e pela perda do bom ala João Lenon.

O que faltou ao Dom Bosco foi um diretor de futebol que pudesse "frear" os repentes do técnico Giani. Uma delas foi não manter entre os titulares o atacante Thiago Vinicius e ainda deixar o Paulinho Mingau no banco. Outra coisa, o Buiú é um grande cara, mas não joga mais o futebol de antigamente. Ganhou a vaga do União e como franco atirador precisa tirar proveito disso.

Operário FC

Deixei para falar do Operário FC por último , justamente por conhecer o seu "mantenedor", Sebastião Viana , mais conhecido como Chacrinha. Ele deu o verdadeiro "drible da vaca" em Eder Taques e Azambuja , quando comprou e pagou pelo time. Na verdade, a única intenção de Chacrinha era ficar com o CT do Carrapicho. Uma área de 6 hectares nas barrancas do Rio Cuiabá. O que ninguém tinha conseguido ( presidentes anteriores) ele conseguiu- registrou em cartório a escritura da área. Do time eu nem falo, pois desde há muito que ele vem alugando as camisas e o nome para um monte de "aventureiros" que por aqui aparecem.

Fonte: Redação