ORLANDO ANTUNES


Durante o período eleitoral na Federação Mato-Grossense de Futebol, uma figura conhecida passeou pelos corredores da FMF e se dizia aliado de João Carlos de Oliveira da chapa continuidade. Se tratava do ex- presidente do Sinop Altair Cavaglieri, mais conhecido como Narigão.

Segundo suas próprias palavras ao Futebolpress, sua função seria "aglutinar" e aumentar o numero de eleitores de João Carlos. Ele chegou a garantir de que o Sinop votaria em João Carlos. Justo o Sinop que tinha o presidente Aguinaldo Turra como vice da chapa de oposição. Ele até que tentou, mas o Sinop apresentou dois representantes com direito à voto na eleição. Claro, a mesa impugnou os dois representantes do Sinop que ficou sem voto.

No dia da eleição, o tal e Narigão ficou com a incumbência de manter os eleitores de João Carlos, reunidos num hotel da cidade, de onde saíram de Van com destino à sede da FMF. Eram mais de dez, mas no meio do caminho alguma coisa mudou.

Em Cáceres, João tinha como certo a presença do presidente Clóvis e que também teria o seu voto. Quem votou foi outra pessoa e na chapa de oposição. Afinal, o diretor Marcinho Lacerda é quem determinou o voto para Aron Dresch, pois e um de seus vices.

No Mixto. ninguém se entendia. Enquanto Gatão, Amuí e Bebeto trabalhavam para João Carlos, o diretor Márcio Pardal e o presidente Walter Hudson foram de Dresch. Claro que o voto foi secreto, mas nos corredores foi possível captar a opção de cada um. Da para acreditar em voto de confiança ????

Fonte: Redação