Na abertura do campeonato estadual, quando do clássico entre Mixto  2 x 3 CEOV na Arena Pantanal, uma figura importante, aliás, duas figuras importantes estavam lá torcendo para o Tricolor. A prefeita Lucimar Campos e seu marido Jayme Campos.

Junto com eles estavam outras tantas pessoas (operarianas ou não) mostrando confiança num time que foi montado para disputar o título. Até parecia, pois uma vitória importante no clássico era a arrancada que o time precisava.

No meio do caminho (já tarde) a diretoria demitiu o técnico Vladimir e dispensou outros "aranhas" que vieram e nada apresentaram. A solução caseira foi guindar Eder Taques como treinador. O dinheiro que gastaram no começo começou a fazer falta e o jeito foi trazer ex-jogadores para compor o elenco, como o volante Jamba(34) que já tinha se tornado preparador físico do Dom Bosco. Outro veterano que voltou foi o goleiro Max (38) que estava trabalhando como preparador de goleiros. Juntando-se à eles o volante Bogé (36) e o atacante Geilson (32), o time ficou muito "velho" e sucumbiu na competição.

E não me venham reclamar de nada, pois a estrutura que lhes foi dada foi para time grande (CT Brasil Central). Além disso, salários em dia, boa estadia e ótima alimentação. Faltou mesmo foi critério para contratar no inicio da pré-temporada. E olha que o "bruxo" Cesar Gaúcho estava por lá. Ou será que ele virou ex-bruxo .

No entanto, o time foi caindo de produção e vai acabar não se classificando para a fase mais importante da competição (só um milagre salva). Por coincidência ou não, não se viu mais nas arquibancadas da Arena, a presença sempre alegre de dona Lucimar e também do Jayme Campos. Que falta que você faz.

Fonte: Redação