JORGE MACIEL


Lanterna no Estadual com apenas um ponto, um empate e três derrotas, o Mixto, contudo, continuará com mesma formação e comissão técnica até o final do campeonato, segundo avaliou e decidiu a diretoria. Trocar técnico e liberar jogadores não é a solução adequada – ponderam os dirigentes -, já esse seria o caminho mais lógico do rebaixamento.

O Mixto quer aprender com os erros e torcer para que a arbitragem melhore e não prejudique o clube. “Perdemos dois jogos até agora. Os outro dois, contra o Operário e Cacerense, tiveram claramente a participação do juiz”, disse Walter Fernandes ao Futebolpress na tarde desta seunda-feira 13..

O diretor de futebol do clube, Márcio Pardal, acredita que é possível subir na tabela. Segundo ele “o plantel é bom, o técnico vem trabalhando direito e o time tem jogado bem”. Pardal disse que é preciso continuar acreditando e que a torcida pode ajudar apoiando o time.

_ “No Paulista, para citar um exemplo, times grandes vêm perdendo. Isso não acontece só com o Mixto. São circunstâncias do futebol”, avaliou.

Plantel do Alvinegro, apresentado no início de janeiro: jogadores mantidos

Disputar o título nem pensar. O Mixto joga a sexta rodada contra o Luverdense em uma semana, no Passo das Emas, e, depois, tem o resto dos jogos, até a décima rodada, em casa – recebe o Cacerense, Sinop e o Clássico dos milhões contra o Operário.

Contratações

Nesta semana, o clube regulariza a situação de mais três jogadores: Fabinho, Matheus e Bruno Medeiros, que chegaram na semana passada. Outra notícia: Marcio Pardal disse que vai aguardar o curso do campeonato para, ao fim, planejar ações para o resto do ano e para o futuro.

Fotos: Fábio Ramirez / Mixtonet

Fonte: Redação