A segunda rodada do Campeonato Paulista foi completada, neste domingo, com uma chuva de gols – 16 em quatro jogos, o que dá uma média de quatro por jogo. O São Paulo atropelou a Ponte Preta. Já o Santos teve “ajudinha” da arbitragem para bater o Red Bull. O campeão brasileiro Palmeiras foi surpreendido pelo Ituano e, assim como o rival Corinthians, não está no G2 de seu grupo.

No jogo em que o goleiro Aranha completou 150 partidas com a camisa alvinegra e Rogério Ceni estreou como técnico diante da torcida, a Ponte Preta passou vergonha. Graças um time desorganizado do técnico Felipe Moreira e uma péssima atuação da dupla de zaga Kadu e Fábio Ferreira. A Macaca levou 5 a 2 do São Paulo e poderia sofrer uma goleada histórica, no Morumbi, que recebeu mais de 50 mil torcedores.

A vitória coloca o Tricolor na liderança do Grupo B, com três pontos. Supera o segundo colocado Linense no saldo de gols: 1 a -2. Por outro lado, a Macaca caiu para a lanterna do Grupo D, com três pontos e dois gols negativos de saldo.

DO PRÓPRIO VENENO!
O Palmeiras, equipe que mais fez gols de cabeça no Campeonato Brasileiro de 2016 – foram 16 ao todo – e cruzava até em arremesso lateral, experimentou seu próprio veneno em Itu. O atual campeão brasileiro perdeu por 1 a 0 para o time da casa, por 1 a 0, com um gol sofrido após uma cobrança de escanteio. O volante Guly, grandalhão de 1,89m, não precisou nem saltar para ganhar pelo alto do volante Thiago Santos. O jogo marcou a estreia do meia venezuelano Alejandro Guerra, campeão da Libertadores com o Atlético Nacional.

Foi a primeira derrota do time alviverde no Paulistão. Por conta do tropeço, os palmeirenses terminam a segunda rodada fora do G2 do Grupo C, com apenas três pontos. Tem dois a menos que o líder Santo André e perde para o Novorizontino nos gols pró. O Galo de Itu, por sua vez, lidera o Grupo A, com quatro pontos.

APITO AMIGO?
Com um gol polêmico aos 47 minutos do segundo tempo, o Santos venceu o Red Bull Brasil por 3 a 2, no Pacaembu, em São Paulo. O mando de campo era do time de Campinas, mas serviu para aumentar o tabu dos praianos: são 17 vitórias consecutivas no estádio municipal. Comandados por Alberto Valentim, o time “da casa” mandou três bolas na trave.

 Sob o forte sol das 11 horas em São Paulo, Kayke protagonizou o lance mais duvidoso da rodada. Após um cruzamento de Victor Ferraz, o jogador usou o ombro para completar. Com a bola no ar, o goleiro Saulo se esticou para defender e caiu em cima da linha, mas não a ultrapassou. Sem visão clara do lance, o árbitro Rafael Gomes da Silva e o auxiliar Danilo Ricardo Simon anotaram o gol de virada do Santos. O Red Bull protestou muito, mas não conseguiu reverter a decisão do trio de arbitragem.

Vindo de uma vitória por 6 a 2 em cima do Linense na estreia, o Santos chegou aos seis pontos, igualado com o Mirassol. Ainda assim o atual campeão tem vantagem no saldo de gols: cinco contra quatro. Já o Red Bull Brasil permanece com um ponto do empate com o Santo André por 1 a 1. O técnico Alberto Valentim ainda busca a primeira vitória com um time profissional.

LEI DO EX
O São Bernardo conseguiu uma vitória heroica nos minutos finais e jogou o Corinthians para a lanterna do Grupo A do Paulista. Com gol do ex-corintiano e ex-beneditino Edno – jogou no Timão entre 2009 e 2010 e no São Bento, em 2016 -, o Tigre do ABC paulista superou o São Bento, por 2 a 1, no estádio 1.º de Maio, em São Bernardo do Campo. Walterson marcou o primeiro gol dos mandantes, enquanto Magrão fez para os visitantes.

O resultado faz São Bernardo saltar para a segunda posição do Grupo A, com três pontos. Atrás apenas do líder Ituano, que chegou aos quatro pontos, após bater o Palmeiras, por 2 a 1. A vitória do time do ABC também deixa o Corinthians na lanterna da chave, com três pontos, mas pior saldo. Em compensação, o São Bento segue no último lugar do Grupo C e na zona de rebaixamento, sem ponto algum. Está à frente apenas da Ferroviária, que tem pior saldo no geral.

Fonte: Redação