Por: ORLANDO ANTUNES

Enquanto a maioria dos times fez contratações bombásticas, o Dom Bosco manteve os pés no chão, com a filosofia de unir o bom ao barato. Assim, o treinador Giani de Freitas, aos poucos, foi montando um time jovem e competitivo, mas não descartando alguns jogadores experientes como o goleiro Ciro, os atacantes Buiú e Paulinho Mingau, além do ala João Lenon e do zagueiro João Paulo.

 Os poucos reforços que vieram de fora , foram contratados (sem custo para o clube), enviados por um empresário do Rio Grande do Sul , tendo como base o Aymoré de São Leopoldo, precisamente o volante França (20), o atacante Juan (21) com passagens por times do interior de São Paulo e ainda o zagueiro Paulo Vinicius (21) que teve como base o Galo Mineiro, tendo passado pelo Bari, da Itália. Além da transferência, salários e alimentação, o empresário está bancando a estrutura de alimentação e acomodação dos jogadores.

 Sem local fixo para treinar, o Dom Bosco tem se virando como pode. Mesmo assim, a diretoria vai ajustando as coisas. A estreia será na abertura do campeonato (dia 28) contra o Cuiabá, na Arena Pantanal.

Fonte: Redação